quarta-feira, 6 de junho de 2012

Notícia(s) do Dia: "Os países dividem-se em dois: quem trabalha e quem faz festas", diz Daniel Bessa




"Os países dividem-se em dois: quem trabalha e quem faz festas", diz Daniel Bessa

Daniel Bessa diz que os países estão divididos em dois: há quem trabalhe e quem faça festas. O economista descreveu assim a forma de trabalhar das empresas portuguesas. Num encontro com empresários de pequenas e médias empresas, Daniel Bessa considerou ainda que Portugal tem capacidade para fazer muito melhor do que está a fazer agora.

Perante cerca de 300 pequenas e médias empresas no Dia Galp - um evento que pretende aproximar as PME da Galp Energia para possíveis fornecedores -, Daniel Bessa frisou que "quem produz e tem o grau de organização e delegação de poderes e reponsabilidade" pode trabalhar e "quem faz festas, faz festas".

"Como se diz na canção do Pablo Alboran e da Carminho: 'esto se acaba aquí, no hay manera ni forma', ilustrou o diretor geral da Cotec, adiantando que o problema do país é "só nosso e só nós o podemos resolver".

Daniel Bessa acrescentou que "Portugal tem condições para fazer muito melhor" e disse que a "situação não podia ser mais propícia" porque existe "um estado de necessidade e de urgência".

O diretor geral da COTEC considerou "um desígnio nacional" haver um programa de substituição de importações, adiantando que a Galp, com a aproximação que está a fazer aos seus fornecedores nacionais, pode dar o seu contributo, já que muitas PME nacionais "são competitivas" relativamente às estrangeiras".

Para Daniel Bessa, é fundamental que haja contactos entre os quadros intermédios das empresas, já que as cúpulas das grandes empresas "têm mais em que pensar". Só desta forma poderá haver resultados práticos no aumento da participação das PME nacionais na internacionalização das grandes empresas, como é o caso da Galp, concluiu.


Fonte: Lusa

Sem comentários:

Enviar um comentário